quarta-feira, 24 de agosto de 2011

De nada vale se não houver amor


Convivo com muitas pessoas diferentes, bem diferentes... O bom é que consigo ter um dialogo aberto com todos, em especial com aqueles que não compartilham com as mesmas crenças e princípios que os meus. O mais interessante é que eu consigo compreendê-los, não concordo, mas sei o que possa passar nas mentes deles, acho que é por que ouço muitos testemunhos de suas vidas, as derrotas e vitorias que tiveram.
Entre essas minhas discussões, onde eu tento mostrar o caminho que acredito ser o certo, comecei a debater com um ateu, o legal é que tudo o que ele falava me fazia crer mais ainda na existência do Deus Criador, queria ter falado o que penso pra ele, porém ele não me deu oportunidade e não insisti, pois assim estaria sendo inconveniente.  
Ele contou que foi cristão, mas com o passar do tempo e de muitos estudos (ou seja, ciência, biologia etc.) ele se deu conta que tudo não passava de ilusão e que agora ele é muito mais bondoso, ajuda mais as pessoas do que antes na sua vida como adventista e que aprendeu a aproveitar a vida. E aquela história me ficou passando na cabeça como se fosse um filme, e eu pensei e disse pra ele que sabia o porquê dele ter deixado a sua crença, mas ele não me procurou pra saber.
Acredito que ele perdeu sua crença não só por causa de “muitos estudos” e, nem por que não existe um Deus como ele declara hoje, mas sim por que na verdade ele sempre esteve presente na igreja, mas nunca teve um contato especial, o sentimento de gratidão e presença de Deus, talvez ele até tenha tido essa experiência, porém deve ter prestado tanta atenção no que os outros irmãos faziam de errado e no que outras pessoas falavam que ele acabou esquecendo-se do que aprendemos na vida cristã que é não olhar para a direita nem pra esquerda, pois todos temos defeitos e cometemos muitos erros. Isso provavelmente pode ter sido um dos motivos dele ter chegado a se afastar da igreja, e chegado a pensar que a fé é só uma ilusão, e que não há Deus Criador.
Tudo o que ele falou ficou martelando na minha cabeça até a hora de ir dormir, porém fiquei tão incomodada que não consegui dormir e comecei a escrever, e tudo que eu pensava naquele momento eu escrevia... “Já pensou que como ateu não deveria amar, ajudar o próximo? Pense bem, se não acredita na existência de Deus, não crê na criação, consequentemente não deveria crer no amor, acredita na evolução, na teoria dos cientistas, mas os cientistas não fazem idéia de como surgiu o amor que é o sentimento que nos faz querer ajudar o próximo, eles não tem uma teoria porque temos sentimentos e como nos movem a fazer tantas coisas. Então se conclui que ateus não poderiam amar por não saber como surgiu esse sentimento e todos os outros, sabe por quê? Porque o amor vem de Deus, mas ateus não crêem na Sua existência. Mas ateus tem esses sentimentos, não amam? Com certeza sim, isso prova que por mais que eles não acreditem Deus existe sim, porque o amor e tanto outros sentimento bons não são só atamos e um conjunto de células nervosas, mas a existência de Deus.”
A pergunta mais difícil de responder e ao mesmo tempo a mais fácil de mostrar é, o que é amor? Como você sente amor se você não vê e se você não sabe como explicar como ele existe?
Sabe na ciência é tudo calculado, mas não d pra calcular o amor, não da pra saber o porquê você ama se não crê em Deus, deu pra entender?
"Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna." João 3: 16

Nenhum comentário: